terça-feira, 25 de julho de 2017

A FACE PERDIDA


















Tenho muitos rostos
dos quais possuí
Difícil é saber quem foi
Aquele que eu quis
Amanhã virá outro
E agora, não há ninguém.
Já não vejo mais esse rosto
Que jaz perdido na multidão
Talvez, misturou-se  aos demais
E neste cais
Na completa escuridão
Já nem sei quem é
E o que mais me impressiona
É a quantidade


PS: Aonde está você ?

3 comentários:

Comente aqui :